Herpetologist Highlight

Herpetologist Highlight

Name: Diego J. Santana

Age: 34

Website / Twitter Handle / Instagram:

www.diegojsantana.weebly.com

https://twitter.com/diegojsantana

https://www.instagram.com/diegojsantana/ (personal)

https://www.instagram.com/mapinguariufms/ (lab)

Where do you work? Universidade Federal de Mato Groso do Sul (UFMS), at Campo Grande, MS, Brazil

Onde você trabalha? Universidade Federal de Mato Groso do Sul (UFMS), Campo Grande, MS, Brasil

Position: Professor

Cargo: Professor

How did you get there? Since my first day in school majoring Biological Sciences school, I wanted to work with frogs. My goal was to become a doctor of Herpetology. As a Brazilian herpetologist, getting excited with these animals wasn’t that hard. Since 2004 when I started as an undergrad student, I have worked in 22 of the 26 Brazilian states, and actually did a part of my Ph.D. in New York City back in 2012. I became a Professor at UFMS in 2014 right after I finished my Ph.D. in Northeastern Brazil.

Como você chegou aí? Desde o meu primeiro dia na graduação em Ciências Biológicas eu queria trabalhar com anfíbios. Meu objetivo naquela época era me tornar doutor em Herpetologia. Como um herpetólog brasileiro, me tornar animado em trabalhar com anfíbios e répteis não foi muito difícil. Desde 2004 quando eu comecei minha graduação até os dias de hoje já trabalhei em 22 dos 26 estados brasileiros, além de ter feito parte do meu doutorado em Nova Iorque (EUA) em 2012. Eu me tornei professor na UFMS em 2014 logo após terminar o meu doutorado, no nordeste do Brasil.

Was there any particular hardship that you had to overcome to work in your position? The current budget cuts by the federal government are making it dark times to do science in Brazil.

Houve alguma dificuldade em particular que você teve que superar para trabalhar em seu cargo? Os atuais cortes do governo federal, os quais estão dificultando muito fazer ciência no Brasil durante esses tempos sombrios.

 

What advice do you give to someone interested in your profession? First of all, you must be passionate for science, you must be curious, and you can never settle with the first answer you find. Also, never think some fields of science are better than others, every science is awesome.

Que conselho você daria para alguém interessado na sua profissão?? Em primeiro ligar, você deve ser apaixonado por ciência, você precisa ser curioso, e nunca sossegar com a primeira resposta que conseguir. Além disso, nunca pense que algumas áreas da ciência são melhores que outras, todo tipo de ciência é incrível.

What advice might you have for someone from an underrepresented group who is interested in entering your field? Do not give up. The science market looks odd and hard for minorities. However, it is our differences that make science so great. Most scientists know and recognize this. By imagining your point of view from the view of someone else’s background can enrich discussions, your way of thinking, and consequently your decision making.

Que conselho você pode ter para alguém de um grupo sub-representado que esteja interessado em entrar em seu campo de trabalho? Não desista. O Mercado científico parece estranho e difícil para as minorias, contudo, são nossas diferenças que fazem a ciência tão incrível. A maioria dos cientistas sabem disso e reconhecem a importância disso. Imaginar seu ponto de vista a partir do ponto de vista de outra pessoa pode enriquecer as discussões, o modo de pensar e, consequentemente, a tomada de decisões.

What’s your favorite herp? It is a hard question. I work mostly with amphibians and some snakes and so I have favorites in each group. Horned frogs (genus Proceratophrys) are among the frogs I cherish most. I also love the Pseudoboini snakes.

Qual seu herpeto favorito? Que pergunta difícil. Eu trabalho principalmente com anfíbios e serpents, e assim eu tenho favoritos em cada um desses grupos. Sapos-de-chifre (gênero Proceratophrys) são os anfíbios que eu tenho um maior carinho. E entre as serpentes eu amo os Pseudoboini.

Why are you an HL member? In large part for publishing reasons because it I am able to get some help with publishing.

Por que você é um membro da HL? Principalmente pela possibilidade das publicações, uma vez que recebemos uma ajuda com nossos artigos.

Is there anything else you would like to add? We need more scicomm and we must work hard with outreach. Our communities must understand the science we are doing and we must demonstrate that science goes beyond politics or religion. Science is there for everyone and can’t only be kept within University walls. Dedicated scicomm and outreach can help bring science out of obscurity in many parts of the world.

Tem mais alguma coisa que você gostaria de acrescentar? Nós precisamos de mais comunicação científica e precisamos trabalhar forte com divulgação. Nossas comunidades precisam entender a ciência que estamos fazendo, e nós precisamos mostrar que ciência está além de política e religião. A ciência está para todos e não pode ser mentida apenas dentro das paredes da universidade. Se nos dedicarmos mais em comunicação científica pode nos ajudar a trazer ciência para esses tempos obscuros em diversas partes do mundo.

Is there a good caption for your attached photograph? A selfie taken with my grad students in our first field expedition in State Park Nascentes do Rio Taquari, in Mato Grosso do Sul. This is an amazing forested Cerrado area where we were able to find the richest anuran spot in the state (news coming soon). Very proud of this gang. In this moment we were going up a hill to install pitfall traps.

Existe uma boa legenda para sua foto em anexo? Uma selfie tirada com meus alunos de pós-graduação em nossa primeira expedição ao Parque Estadual das Nascentes do Rio Taquari, no Mato Grosso do Sul. Esta é uma incrível área de Cerrado florestal onde nós encontramos o local com a maior riqueza de anfíbios do estado (e tem mais novidades do Parque em breve). Muito orgulhoso dessa turma. No momento dessa foto estávamos subindo um morro para instalar armadilhas de queda.

Read more